sábado, 22 de fevereiro de 2014

A força de uma indústria

Portugal sempre foi conhecido pela sua qualidade de produção, na excelência dos seus serviços, sendo um exportador nato da sua manufatura, como sempre foram os exemplos da têxtil e do calçado, contudo no início do séc. XXI o país caiu na rotina, não se desenvolvendo, ao nível de técnicas de produção, de desenvolvimento de produtos, ou seja, deixou que o tempo passa-se sem tomarmos a atitude de acompanhamento, inovação.
Por muito mal que a crise tenha provocado na vida dos portugueses, em todos os níveis sociais e económicos, foi essa mesma crise que estimulou a rutura com o passado no setor do calçado, batendo com a porta e procurando novos caminhos.
É este crescimento contínuo, com a procura de novos produtos, novos mercados, aposta na diferenciação, que provoca na indústria do calçado em Portugal um caso de sucesso, nesta era conturbada, contribuindo e muito para o crescimento económico, que se tem verificado nos últimos tempos no nosso país e que serve também como exemplo e o traçar de um novo caminho para os restantes sectores da economia.
Para que esta indústria esteja a sentir as melhorias vividas no presente muito contribui em pensar ao longo prazo. Definir um objectivo, que é tornar-se na maior referência mundial do sector através da sofisticação e criatividade baseada num “Know-how” e inovação altamente competitivo. Tudo isto é fruto de uma concentração geográfica das empresas, pois a sua maioria está situada em duas cidades, Felgueiras e São João da Madeira. Através desta concentração as empresas conseguem ter relações formais e informais, através das relações comerciais (nomeadamente de subcontratação), relações de partilha de informações e conhecimento (pela circulação de pessoal).
Todas estas sinergias que se foram criando, pelas relações de proximidade, confiança, fomenta o crescimento, desenvolvimento, melhoria contínua, saindo todos a ganhar nesta relação, então isto faz com que as empresas se tornem mais competitivas, pois possuem um “Know-how” muito alargado, é neste caso bem se pode dizer a já famosa frase “Juntos, somos mais fortes.”
As empresas de calçado português não fugiram há regra dos restantes países, pois passaram dificuldades principalmente pela “ameaça” vinda dos países asiáticos onde a mão-de-obra é mais barata, o que torna, muitas vezes, insuportável de combater. Mas apesar das dificuldades sentidas, as empresas portuguesas procuram sempre mostrar-se através da participação em feiras internacionais e promoção de uma imagem colectiva com os slogans “designed by future” e “the sexiest industry in Europe”.
O Marketing esteve sempre lá, de braço dado com as empresas de calçado português, o que lhes permitiu conhecer os mercados com maiores potencialidades para poderem vender, as necessidades e gostos do público, e essencialmente fazer algo diferente, criativo, inovador, etc, para que se pudessem posicionar como a indústria mais sexy da Europa como foi referido no parágrafo anterior.
As empresas portuguesas continuaram a reforçar as suas capacidades de criação, design e moda e a investir continuamente no domínio do marketing internacional, nomeadamente através da presença em feiras, o que lhes permitem verificar tendências, um maior contacto com possíveis clientes e manter relações firmes com os clientes actuais.

Nuno Barbosa nº 28468

Enviar um comentário