domingo, 30 de dezembro de 2012

China disponibiliza sistema rival do GPS

A China alargou ontem o seu sistema doméstico de navegação por satélite, denominado Beidou, ao uso comercial em toda a região Ásia-Pacífico. O sistema, visto como uma alternativa ao GPS (Sistema de Posicionamento Global), era até agora utilizado apenas pelo governo e para fins militares.
O Beidou pretende conquistar 70 a 80% de quota de mercado na China ao sistema rival norte-americano, o GPS, até 2020. No ano de 2015, deverá ter uma quota entre 15 e 20%, estima Ran Chengqi, porta-voz do Beidou Navigation Satellite System (BDS) e director do China Satellite Navigation Office, citado pelo China Daily. Sem adiantar uma data, o responsável acrescentou ainda que o objectivo passa por tornar o sistema disponível em todo o mundo.
De acordo com o China Satellite Navigation Office, o Beidou consegue identificar a localização de uma pessoa com uma precisão até 10 metros e a sua velocidade até 0,2 metros por segundo. Neste momento, o sistema conta com uma rede de seis satélites em órbita, mas o governo chinês pretende lançar mais 40 satélites ao longo da próxima década. A China começou a construir a rede em 2000 para não depender do GPS.
Porém, o gigante asiático não é o único país a apresentar uma alternativa ao sistema norte-americano, lembra a BBC. Também a Rússia está a desenvolver o sistema Glonass, que será destinado a uso civil e militar, e que conta já com 23 satélites em órbita. Por sua vez, a União Europeia está a desenvolver o Galileo.

Fonte: Marketeer

Ana Ponte
29767

sábado, 29 de dezembro de 2012

Apple e Intel preparam iWatch com bluetooth

Para já não passa de um rumor lançado por um blogue chinês mas tem tudo para resultar, não fosse o iWatch uma das tendências para o futuro e um campo ainda virgem para a Apple.

De acordo com o TGbus.com, que cita fontes de uma empresa de fornecimento da norte-americana, o relógio inteligente  com bluetooth teria um  ecrã touch PMOLED de 1,5 polegadas e vidro com uma proteção especial ITO. A particularidade mais interessante seria o facto de permitir, através do sistema bluetooth, a ligação com outros dispositivos iOS, nomeadamente o iPhone e o iPod.
Outros rumores reforçam a notícia: no início deste mês foi ainda divulgado que a Intel estaria a trabalhar numa nova tecnologia que a levaria no sentido do lançamento de uma nova geração de chips para smartphones e tablets.
Assim sendo, o iWatch da Apple/Intel deverá chegar ao mercado no primeiro semestre de 2013. Este não será o primeiro gadget do género a chegar ao mercado (a Sony já possui o seu próprio modelo), mas tratando-se de um produto da Apple, certamente gerará mais expectativa e entusiasmo entre os fãs da maçã.

Fonte: tecnologia.com.pt

Ana Ponte
29767

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012



Charles Bukowski, Oscar Wilde, Jack Kerouac e Edgar Allan Poe são alguns dos personagens que dão “vida” à colecção de sacos que a Ironic acaba de lançar. Uma marca portuguesa, que se quer irreverente, com peças únicas, totalmente handmade e que promete estar aí para ficar em solo nacional e não só… sem ironias.

Quando um criativo e uma jornalista se juntam, uma coisa é certa: imaginação e criatividade são coisas que não vão faltar. Se bem o pensaram, mais rapidamente puseram mãos à obra e com a inspiração dos seus autores e pintores “malditos” surgiu uma colecção de sacos de lona em cru e em verde tropa, que marca o conceito Ironic. Um conceito que se estende também às peças em couro e aço inox que produzem.

Num atelier de um bairro histórico lisboeta juntaram à máquina de serigrafar, à prensa, quadros e tintas já existentes, uma antiga máquina de costura Refrey Transforma, linhas, lonas e ferramentas para trabalhar a pele.

Helena e Rui
Rui “Pinhead”, um criativo com paixão por t-shirts e serigrafia, e Helena explicam: “As alças dos sacos são em couro e foram desenhadas para serem usadas na mão ou ao ombro e para além disso, podemos costumizar as imagens a pedido do cliente, ou seja, basta enviarem o desenho para ser analisado e a partir daí podem ter um saco único e durável.”


Destaque ainda para o saco de marinheiro, pensado para um fim-de-semana prolongado e que pode também ser utilizado como mochila. Mas há também os porta-moedas e outras novidades que a seu tempo chegarão ao mercado, como explicaram ao ONDE IR.com.pt a “irónica” dupla.
Para já os artigos da Ironic são vendidos na rede social Facebook, onde têm uma página (http://www.facebook.com/IronicLisbon) desde meados deste mês, mas a intenção é estarem “presentes em lojas físicas, que tenham o nosso ADN”. E não só em Portugal, como frisa Rui: “Os nossos sacos já partiram para Berlim, onde serão comercializados em alguns espaços, pois queremos que a Ironic vá além-fronteiras. Acreditamos que há mercado para os nossos produtos e portanto vamos continuar a trabalhar.”


Preços:
 
Sacos serigrafados: €40 
Saco de marinheiro: €50 

Contactos:
www.facebook.com/IronicLisbon
ironiclisbon@gmail.com


Dulce Ruano - 27249

Toyota paga 830 milhões de euros por carros defeituosos

A Toyota Motor concordou em pagar 1,1 mil milhões de dólares (aproximadamente 829 milhões de euros) para evitar uma acção judicial colectiva por parte de consumidores norte-americanos que acusam o grupo de ter fabricado alguns modelos com problemas no sistema de aceleração.
O colectivo de queixosos alega que alguns modelos das marcas Toyota, Lexus e Scion têm problemas de aceleração involuntária, que estarão na origem de alguns acidentes fatais nos Estados Unidos.
O acordo, alcançado ontem num tribunal federal da Califórnia, permite à Toyota evitar um processo judicial, bem como eximir-se de qualquer culpa ou responsabilidade pelos defeitos. Em contrapartida, a marca compromete-se a cobrir os custos de substituição dos sistemas afectados ou a indemnizar os queixosos que preferiram desfazer-se dos veículos. «Um dos nossos objectivos primordiais tem sido o de defender vigorosamente a segurança dos nossos veículos, e acreditamos que o fizemos» ao estabelecer o acordo, afirma Mike Michels, porta-voz da Toyota, citado pelo Wall Street Journal.
Segundo a mesma fonte, a imagem da Toyota tem sido prejudicada nos últimos anos no mercado norte-americano por causa de defeitos (alguns relacionados com os pedais) que obrigaram a marca a recolher milhões de veículos – só entre 2009 e 2010 foram chamados à revisão cerca de oito milhões de automóveis. A marca ficou sob escrutínio público depois de, em 2009, um polícia da Califórnia ter perdido o controlo do seu Lexus ES 350, provocando a sua morte e a de mais três passageiros. O acidente obrigou o CEO da fabricante, Akio Toyoda, a fazer um pedido de desculpas público.
Em Outubro passado, a Toyota ordenou a recolha de 7,43 milhões de veículos à escala mundial, após ter detectado um potencial problema nos vidros eléctricos em quatro modelos. Em Portugal, a marca chamou à revisão cerca de 21 mil veículos devido a este problema.

Recuperar a liderança mundial
Apesar dos problemas e dos vários processos que tem sido alvo, a Toyota prepara-se para recuperar o título de maior fabricante mundial de automóveis este ano, segundo a agência financeira Bloomberg. A marca nipónica estima fechar 2012 com um aumento das vendas na ordem dos 22%, para 9,7 milhões de veículos comercializados – um novo recorde desde o ano 2000.
Além disso, a Toyota estima vender 9,91 milhões de unidades em 2013 – incluindo as vendas das subsidiárias Hino Motors e Daihatsu Motor –, apesar de esperar uma quebra de 15% no mercado doméstico, o japonês.

Fonte: Marketeer online

Ana Ponte
29767
 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A tradição ainda é o que era: Super Bock dá as boas vindas a 2013.


“2013 merece uma Super Bock” é o tema da campanha de fim de ano da principal marca de cerveja da Unicer, que faz a contagem decrescente até 31 de dezembro: são nove filmes, com criatividade da Havas e produção da Show off, já no ar nos principais canais generalistas.
Além dos filmes, a campanha está presente em publicidade exterior, com ações no digital e um anúncio de imprensa em realidade aumentada, além do patrocínio a diversas festas. E culmina na noite de passagem de ano, na SIC e na RTP, com o tradicional filme “relógio”, fazendo a contagem decrescente, ao som das últimas 12 badaladas.
Na televisão, os filmes criados pela Havas são sequenciais e diários, apresentando um frigorífico que, nos dias que antecedem a noite de fim de ano, vai sendo carregado de Super Bock pela mão de diferentes perfis de consumidores da marca. Na noite de 31, o frigorífico é esvaziado por um grupo de amigos que, em coro, fazem o countdown para o novo ano e, à hora certa, brindam a 2013.
Já em imprensa, “Abre a porta a 2013” é o tema do anúncio em realidade aumentada, disponível no dia 28 de dezembro, no jornal Público, e visível a partir de uma aplicação smartphone ou tablet (iOS, iPhone e iPad, ou Android)
Há 20 anos que a marca está presente no fim de ano dos portugueses há 20 anos.
video


Ana Bidarra
Nº 29451


Marta Marques e Paulo Almeida são os dois designers de moda portugueses que recentemente fundaram a marca Marques ‘ Almeida. Esta dupla, que só tem somado sucessos desde a apresentação da sua primeira colecção (há duas temporadas atrás), segue a filosofia de um dos maiores génios da indústria da moda – Helmut Lang – afirmando que, na moda, o importante é a atitude.

Ex-alunos da prestigiada Central Saint Martins (Londres), ambos estagiaram em grandes casas de moda internacionais (Marta na Vivienne Westwood e Paulo na Preen).

Os seus designs transpiram uma estética crua, muito associada ao estilo grunge dos anos noventa e a uma rapariga rebelde, que existe no imaginário dos dois designers e que demonstra uma atitude cool sem qualquer esforço (pensem na Kate Moss no início da sua carreira.).














O trabalho de Marta e Paulo tem aparecido em inúmeras publicações conceituadas (i-D, Vogue, Elle e Russh, são só alguns exemplos) e atraído a atenção de várias celebridades e profissionais da indústria da moda, incluindo a dupla fundadora da Opening Ceremony (Carol Lim e Humberto Leon), que neste momento já vende peças daMarques ‘ Almeida.

Para mais informações, imagens e vídeos, visitem marquesalmeida.com.

Dulce Ruano 27249

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012


Sapatos de cortiça, pele de galinha ou porco hipoalérgico


por Sara Ribeiro
Cortiça, pele de pata de galinha ou pele de porco hipoalérgico são algumas das novas tendências do calçado português que está a conquistar o mundo a ‘passos largos’.Os sapatos portugueses continuam a passear pelas ruas do mundo. Mas a nova aposta das empresas nacionais está nos produtos ecológicos e terapêuticos. Cortiça, pele de pata de galinha ou de pele de porco hipoalérgico são algumas das matérias-primas que estão na moda para fabricar sapatos biológicos.
A Ferreira Avelar – que tem como cliente o presidente francês Nicolas Sarkosy – lançou no mês passado, na Mican, uma das principais feiras mundiais do sector em Itália, a nova linha Cork&Style, que alia a cortiça «a um produto da moda, actual e com design arrojado», explica Ruben Avelar, responsável da área de Sales&Marketing da empresa.
Inovação e poupança
A ideia surgiu após uma das reuniões entre a administração e o departamento comercial para definir estratégias comerciais para 2011. Um dos pontos discutidos «foi a subida absurda dos preços do couro nos últimos meses e qual seria a possibilidade de encontrarmos uma matéria-prima, com qualidade e biodegradável, algo essencial para o futuro da humanidade, além, claro, do preço inferior ao do couro», explica Ruben Avelar. «A cortiça reúne todas as características, além de ser um produto nacional», acrescenta.
Por enquanto, a linha Cork&Style disponibiliza cinco modelos com um preço que se situa entre os 50 e os 70 euros, mas a Ferreira Avelar vai aumentar a oferta para 10 já na próxima colecção de Inverno.
O futuro do calçado vai passar «por encontrar matérias-primas alternativas e viáveis ao couro que, por diversos factores, tende a encarecer. Por isso, o sapato de couro vai transformar-se num produto de nicho, acessível apenas às classes média-alta e alta», sublinha Ruben Avelar.
A sustentabilidade ambiental e o bem-estar também fazem parte dos pilares estratégicos da Softwave. Recentemente criou um novo sistema, o GoAir, que consiste em forrar os sapatos com pele de porco hipoalérgico, isento de crómio. Estes sapatos biológicos «são um pouco mais caros devido ao tipo de materiais e à complexidade da construção. Mas são o futuro da nossa sociedade. Os custos da saúde somados ao grau de poluição estão são cada vez mais importantes no desenvolvimento de novos produtos», adianta Orlando Santos, brand manager da Softwave.
Os preços da gama de pele de porco hipoalérgica da Softwave variam entre os 90 e os 150 euros. Os consumidores «estão cada vez mais exigentes e conscientes do que compram. Como tal, procuram uma mistura de moda com saúde e qualidade de vida. Como produtores, temos que oferecer produtos mais completos e inteligentes, de forma a mantermos a idoneidade das marcas. Os sapatos biológicos podem ser uma das soluções.», explica Orlando Santos.
Peles para todos os gostos
A Mariano, empresa de São João da Madeira, lançou no ano passado sapatos de pele de pata de galinha, um produto arrojado, mas que não é para todos os ‘bolsos’. Por serem peles muito pequenas e toda a concepção do sapato ser feita à mão, os preços oscilam entre os 300 e os quatro mil euros.
Os sapatos de peles exóticas têm como principais destinos os mercados externos, com a França, a Alemanha, o Canadá e o Japão no topo das vendas das empresas de calçado.

sara.ribeiro@sol.pt

Dulce Ruano 27249

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Vilamarché é o novo conceito d’Os Mosqueteiros



Vilamarché é o novo conceito d’Os Mosqueteiros

O grupo Os Mosqueteiros apresentou o Vilamarché, um conceito comercial que abarca as diferentes insígnias do grupo – Bricomarché, Intermarché e Roady –, bem como um conjunto de lojas que vai desde papelarias, lavandarias, cabeleireiros e sapateiros à restauração.
O conceito Vilamarché arrancou nos espaços comerciais do grupo em Setúbal, mas deverá ser alargado a Porto Salvo e Portimão até ao final do ano, informa o grupo Os Mosqueteiros em nota de imprensa. A primeira fase de implementação do conceito implicou um investimento a rondar um milhão de euros.
O novo conceito surge com o intuito de alargar o projecto Movimento Nacional de Poupança Intermarché, lançado em Setembro de 2011, às restantes insígnias do grupo, Bricomarché e Roady. «Com o Vilamarché, queremos dar continuidade à constante preocupação do grupo Os Mosqueteiros em responder às necessidades diárias dos clientes, mas também em estimular a economia local», afirma Tomé Lopes, representante do grupo Os Mosqueteiros.

Sofia Rocha 27602

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Sara Sampaio e Gonçalo Teixeira promovem calçado nacional

 

 

Sara Sampaio e Gonçalo Teixeira promovem calçado nacionalOs manequins portugueses Sara Sampaio e Gonçalo Teixeira são os rostos da nova campanha do calçado português nos mercados internacionais, que volta a apostar na assinatura “A indústria mais sexy da Europa”. O principal objectivo é a conquista de novos mercados para as empresas portuguesas.
O sector do calçado reforçará, com o apoio do Programa Compete, a aposta no processo de internacionalização, investindo 12 milhões de euros em mais de 30 países, como África do Sul, Brasil, China, Colômbia, Emirados Árabes Unidos, Japão e Rússia, entre outros.
“No essencial, são quatro os grandes objectivos para a realização desta ofensiva promocional: consolidar a posição relativa do calçado português nos mercados externos, diversificar o destino das exportações, abordar novos mercados e possibilitar que novas empresas iniciem o processo de internacionalização”, explica a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos, em nota de imprensa.
Ao nível da comunicação, “serão desenvolvidas várias acções de imagem e comunicação destinadas aos retalhistas de 80 mercados distintos, de modo a promover uma indústria jovem, moderna e voltada para o futuro, que alia a tradição às tecnologias de ponta, o ‘saber-fazer’ ao melhor design de sempre”, refere a APICCAPS.
Além disso, o sector irá investir no reforço da presença em feiras e exposições mundiais (como são os casos das feiras MICAM e Riva del Garda, ambas em Itália, e GDS, na Alemanha), em feiras de forte expressão regional (Modacalzado, em Espanha, Ciff e CPH Vison, ambas na Escandinávia) e de nicho (Bread & Butter, na Alemanha, Who’s Next, em França, Pure, Moda Footwear e London Fashion Week, no Reino Unido).
Ângela Fernandes.
27183
Fonte: Marketeer

Uma pequena demonstração

Earbox: Música e Movimento!


 A EarBox propõe inovar no mercado em vestuário musical, evoluindo peças de roupa tradicionais, onde as novas tecnologias e arte se fundem e convidam a uma perfeita sintonia com o mundo que te rodeia. A constante vontade de nos deslocarmos no dia-a-dia em sintonia com a nossa música é visível na quantidade de utilizadores de headphones no mercado, por isso a EarBox aposta na inovação do vestuário onde este tem colunas integradas que permitem levar a tua música para todo o lado este inverno, da forma mais confortável.





                               




 Daniela Fernandes nº 27890

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Google Maps regressa ao iPhone após fiasco da Apple






























































Google Maps regressa ao iPhone após fiasco da Apple

      
       
       Cerca de três meses depois de ter lançado o seu sistema próprio de cartografia, que veio substituir a aplicação da Google, a Apple voltou ontem a admitir o Google Maps na sua loja virtual. Os erros apontados ao Apple Maps terão obrigado a empresa da maçã a recuar na sua decisão.
      A aplicação da Google que, antes do lançamento do sistema operativo iOS 6, vinha pré-instalada nos equipamentos móveis da Apple, regressa agora à App Store  como uma app independente, e entra em concorrência directa com a Apple Maps. “A partir de hoje, temos o prazer de anunciar que a Google Maps está disponível em todo o mundo através da App Store da Apple. Foi desenhada do zero para poder combinar a abrangência e a eficácia da aplicação com uma interface que torna a pesquisa mais rápida e simples”, anuncia a Google numa nota publicada no seu blogue oficial. A nova versão inclui, pela primeira vez, navegação turn-by-turn, funcionando também como um GPS, e pode ser utilizada mesmo sem ligação à internet.
       A readmissão da Google Maps na App Store, que está já disponível em cerca de 40 países e 29 idiomas, pode ser entendida como o resultado da pressão a que a Apple foi sujeita por parte dos consumidores em todo o mundo, que teceram várias críticas, sobretudo relacionadas com a falta de precisão, à ferramenta Apple Maps. A polémica motivou, inclusive, um pedido de desculpas público da parte do CEO da empresa, Tim Cook, e o despedimento do responsável máximo pelo desenvolvimento do serviço, Scott Forstall.
     A nova versão da Google Maps está disponível para iPhone (3GS, 4, 4S e 5) e iPod touch (3ª, 4ª e 5ª geração), desde que equipados com iOS 5.1 ou superior.
Recorde-se que, recentemente, também a Nokia apresentou um novo serviço de mapas, apelidado Here, que estará disponível para o iPhone e iPad. O serviço é baseado na nuvem e em linguagem HTML5.