sábado, 4 de junho de 2016

SMARTPHONES CAEM EM VENDAS PELA PRIMEIRA VEZ EM PORTUGAL

Smartphones and applicationsAs vendas de bens de consumo tecnológicos em Portugal registam uma variação de 0,8% no primeiro trimestre deste ano, face ao período homólogo, ascendendo aos 598 milhões de euros. Os smartphones caíram em vendas pela primeira vez nestes três primeiros meses do ano.
Segundo o estudo Temax da consultora GfK, pela primeira vez, as vendas de smartphones registaram uma queda em Portugal – menos 6,5%, em comparação com os primeiros três meses de 2015. No total, as telecomunicações caíram 4,5% em vendas neste primeiro trimestre do ano, para os 177 milhões de euros. “As vendas de telemóveis continuam a cair, enquanto acessórios, auriculares, e em particular os dispositivos wearables apresentaram crescimentos”.
Por sua vez, o sector de Tecnologias de Informação produziu resultados quase idênticos aos do mesmo período em 2015, atingindo vendas de 128 milhões de euros. As vendas de mediatablets continuaram a diminuir (menos 41%), enquanto os computadores desktop registaram um crescimento de cerca de 40%.
Foram os “grandes electrodomésticos” que mais cresceram a nível nacional, com um aumento de 13% no primeiro trimestre, conquistando vendas de 112 milhões de euros. “Tal como no mercado global de Bens de Consumo Tecnológicos, a Electrónica de Consumo em Portugal manteve-se ao nível do primeiro trimestre de 2015. As TV registaram um crescimento e os dispositivos com definição UHD também garantiram um bom desempenho”, explica em comunicado a consultora. “O mercado imobiliário ajudou a impulsionar as vendas de electrodomésticos uma vez que as famílias procuraram substituir os grandes aparelhos domésticos. O clima também ajudou o sector com as vendas de secadores de roupa, que aumentaram em 82%, devido a chuvas mais intensas que o habitual. Finalmente, as vendas de equipamentos de encastre cresceram a um ritmo mais rápido do que os aparelhos de instalação livre”.
O segundo segmento que mais cresceu foi o de “pequenos electrodomésticos” ainda que tenha registado apenas uma variação de 1,5%, em comparação com o primeiro trimestre de 2015, ascendendo aos 60 milhões de vendas. “Foi observada uma descida no segmento de ‘slow cooking’, mas o recente segmento de panelas eclétricas compensou essa descida. Além disso, a venda de aparelhos de aquecimento caiu drasticamente neste trimestre devido a um inverno muito suave, enquanto as vendas de aspiradores de pó permaneceram positivas”.
Pela negativa destaca-se a “fotografia”, que apresenta uma quebra de 11,5%, face ao primeiro trimestre de 2015, situando nos 10 milhões de euros em volume de negócios. No entanto, “no segmento das câmaras de filmar, as action cams registaram vendas interessantes”, explica a consultora.
(Hipersuper)

Enviar um comentário