segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O homem que obteve a liderança do mercado cervejeiro à boleia do futebol


    Se Alberto da ponte decidir, um dia, escrever a história da sua vida, é provável que dedique mais do que um parágrafo ao ano 2008. Foi nesse ano que a Sociedade Central da Cerveja viu confirmado nos dados oficiais que, pela primeira vez, a Sagres tinha ultrapassado a Super Bock. 
    Num mercado de cervejas bipolarizado entre Sociedade Central de Cervejas (100% Heineken) e Unicer ( 56% da Viacer e 44% da Carlsberg) como é Portugal, Alberto da Ponte tem no currículo o feito de ter levado a Sagres de uma quota de 34% ( contra 46% para a Unicer) para uma posição maioritária em Portugal. Uma liderança que em Novembro se materializou numa quota global de 49,4% para a SCC do mercado português ( 47,6% nos 12 meses terminados em Novembro de 2011). A Luso, outros trunfos da empresa, manteve-se sempre na liderança das águas lisas.
    Num período de oito anos, a gestão de Alberto da Ponte ficou também marcada pelo reforço do investimento no patrocínio desporto, nomeadamente à selecção nacional - o que resultou até em acusações de marketing de emboscada à Unicer, no Europeu de 2008 - e ao Benfica. O patrocínio ao Sporting em que a SCC foi preterida a favor da Unicer, chegou a levantar queixas na justiça a ambos, abandonadas mais tarde sem grande explicação. (...)

Fonte: Jornal Negócios, Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012.
    

Josiane Correia

Enviar um comentário