quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Fazer directas a estudar para os exames é um mau negócio!

Muitos estudantes privam do sono para ganhar tempo de estudo. Cientistas dizem que não compensa: “A qualidade e a quantidade adequada de sono estão associadas a um melhor rendimento académico”

Exames, trabalhos, diversão. Quando o tempo parece pouco para tudo isto, a opção dos jovens é, muitas vezes, tentar "esticar" o dia e cortar nas horas de sono. Fazer disto um hábito pode ter consequências nefastas quer para a saúde quer para os resultados académicos.

“[Cerca de] 25% da população portuguesa dorme menos de seis horas”, afirmou ao P3 Marta Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Sono, com base num estudo levado a cabo em 2009/2010.

Quanto aos estudantes, um estudo de Ana Allen Gomes, na Universidade de Aveiro, concluiu que pouco mais de metade dos inquiridos costumava dormir o necessário. A investigadora percebeu também que “a qualidade e a quantidade adequada de sono estão associadas a um melhor rendimento académico”.



“O corpo é que paga”




Sílvia Martins, nº26365

Enviar um comentário