quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Costuma falar (bem ou mal) de marcas nas redes sociais?

Costuma falar (bem ou mal) de marcas nas redes sociais?
Enquanto que a maior parte dos marketeers continua a apostar no Facebook e no Twitter para comunicar com os seus clientes, não são muitos os consumidores que fazem comentários sobre empresas e marcas nas redes sociais, adianta o eMarketer. 
57,8% dos utilizadores de Facebook nos EUA não faz referência a marcas nos seus updates de status desde Outubro de 2011, de acordo com dados da empresa de estudos de mercado AYTM. 
Mais motivante para os marketeers será talvez o facto de 0,5% dos utilizadores de Facebook terem feito apenas referências negativas sobre marcas naquela rede social, ao passo que 25,3% dos utilizadores falam das marcas de uma forma positiva, e 16,4% faz tanto referências positivas como negativas, continua a AYTM.
Os utilizadores do Twitter nos EUA alinham pela mesma postura que os do Facebook: 61,3% afirmou que não tem feito tweets sobre marcas. 25,4%, por sua vez, referiu que só fala de marcas em tweets positivos, enquanto que 0,4% admitiu fazê-lo apenas em tweets negativos. 12,9% faz tweets positivos e negativos.
Os consumidores não estão, no entanto, a aprender sobre novas marcas, produtos e serviços nas redes sociais. Uma percentagem de 6,5% dos utilizadores de internet nos EUA afirmou que toma conhecimento de novas marcas, produtos e serviços nestas plataformas, de forma frequente, e 26,5% apenas algumas vezes. 26% dos inquiridos garantiu nunca tomar conhecimento de novas ofertas através de social media.
Canais offline, como televisão, rádio e imprensa, foram os meios apontados pelos consumidores como aqueles onde mais frequentemente descobrem novas marcas, produtos e serviços. Também o word-of-mouth e as lojas físicas chamam a si um papel importante na transmissão destas informações. Elementos online - que não os social media -, como publicidade online e sites de e-commerce, são também meios através dos quais os utilizadores de internet naquele mercado ficam a par de novas ofertas, de uma forma mais frequente do que nos social media.
É um facto que os consumidores estão a usar cada vez mais estas plataformas, e que as marcas presentes nas redes sociais estão disponíveis para interagir. O desafio passará, no entanto, por levar os consumidores a falar sobre marcas e produtos nos seus status e tweets, o que aumentaria a influência dos social media na transmissão de informações sobre as ofertas das empresas.

Fonte: marketeer , quarta-feira, 11 de Janeiro de 2010

Publicado por:  Filipa Corsino nº24598

Enviar um comentário