quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Preços dos bens de grande consumo registam evolução mais lenta


O mercado de grande consumo em Portugal registou entre outubro e dezembro um crescimento de vendas de 0,9% face ao período homólogo, segundo os dados do relatório “Growth Reporter” elaborado pela consultora Nielsen.
Na Europa, durante o quarto trimestre de 2015, os bens de grande consumo cresceram 2,1% sendo que as quantidades vendidas aumentaram 0,8%, enquanto o preço cresceu 1,3%, o que corresponde ao menor crescimento desde o terceiro trimestre de 2010 (1,1%).
Os consumidores europeus têm vindo a beneficiar de um ritmo lento de inflação dos preços acompanhado por um rápido crescimento do volume de vendas dos bens de grande consumo (todos os produtos destinados ao cliente final). Pelo sétimo trimestre consecutivo, os volumes de vendas de produtos como alimentos, bebidas e produtos de higiene pessoal têm aumentado ano após ano.
Entre os 21 países europeus avaliados, os preços caíram mais acentuadamente em Portugal (-1,3%) e na Suíça (-1,6%). Outros quatro mercados – Finlândia, Irlanda, Alemanha e República Checa – também apresentaram resultados de deflação. No outro extremo da escala, os maiores aumentos foram os da Turquia (+ 9,2%) e Hungria (+ 3,1%).
Numa nota enviada às redações, o diretor europeu de retail insights da Nielsen, Jean-Jacques Vandenheede, explica que “estes resultados devem-se a uma combinação de fatores. Os custos de produção caiem, graças a preços mais baixos do petróleo e os retalhistas praticam ainda uma intensa atividade promocional para combater o aumento da popularidade dos discounters. Além disso, quase três em cada dez europeus admitem mudar para marcas mais baratas com o objetivo de economizar dinheiro “.
O mesmo estudo conclui que no total do trimestre Portugal registou, um resultado positivo de 2,3% na variação das vendas, principalmente devido ao mês de Dezembro (+2,4%) já que não se registaram crescimentos em Outubro e Novembro.

Enviar um comentário