terça-feira, 7 de abril de 2015


Televisão em Foramato Snapchat


Televisão em formato Snapchat

A funcionalidade “Discovery” do Snapchat é um menu com canais de onze empresas de informação como CNN, ESPN, The Food Network, National Geographic, People e Vice. As empresas publicam vídeos e histórias escritas criados especificamente para a aplicação, assemelhando-se a um conteúdo televisivo, mas de curta duração. Junta-se ainda o programa Comedy Central que produz os seus próprios vídeos e histórias.
O conteúdo publicado no Snapchat é visto por mais de um milhão de utilizadores diariamente, afirmam funcionários que trabalham para os parceiros de canais no Snapchat.
Com o login feito no Snapchat, ao puxar o ecrã duas vezes para a direita surge o menu Discovery com os logos das empresas com canais na aplicação. Escolhido o canal poderá assistir a um curto vídeo. Para ver o vídeo completo ou o episódio basta puxar para baixo. Pode ainda puxar para a direita para mudar de vídeo de outro canal. Para incentivar os espectadores a lerem as histórias, os canais People e Cosmopolitan publicam vídeos animados sobre as mesmas.
A Bloomberg adianta que a audiência juvenil do Snapchat permite às empresas cobrar aos anunciantes cerca de 92 euros por cada mil visualizações. Um valor que é o dobro do cobrado pelo Youtube e Hulu. Só nos Estados Unidos da América 71% dos jovens americanos dos 18 aos 29 anos utilizam o Snapchat.
Alguns anunciantes interessaram-se pelo Discovery, associando-se aos canais, como a McDonald’s, que criou um portfólio de anúncios para o Comedy Central, e a BMW, para o CNN, para além de outras empresas como Samsung e General Electric.
Como a escolha dos canais parte dos utilizadores, os anúncios criados especificamente para a aplicação e os canais em que vão ser divulgados devem ser interessantes ao ponto de captarem a atenção dos espectadores, declara Craig Atkinson, chefe executivo do departamento digital na agência PHD do grupo Omnicom. Acrescenta, ainda, que o investimento em Snapchat deve ser o mesmo aplicado na pesquisa e desenvolvimento. Já que os utilizadores podem passar dias sem ver anúncios, como acontece em canais como Daily Mail e Warner Music, afirma a Bloomberg.
O grande desafio que o Snapchat enfrenta é impedir que os jovens mudem para uma nova aplicação de mensagens, declara Rebecca Lieb, analista do Grupo Altimeter.
Mas segundo Grace Lee, estudante da Universidade do Norte de Carolina, a publicação de vídeos de canais informativos não é o que vai apelar aos jovens. “As pessoas da minha idade gostam (do Snapchat) porque é simples. Tiram fotografias e enviam. Quanto mais complicado for, mais conteúdo tiver, menos popular se irá tornar”, afirma.

Enviar um comentário